BAIXE O MEU APP

Notícias

Você está aqui

Secretaria de Desenvolvimento apresenta em São Paulo atrativos para setor automotivo fluminense

Secretaria de Desenvolvimento apresenta em São Paulo atrativos para setor automotivo fluminense

Empresa paulista anuncia investimento de R$ 10 milhões para nova fábrica no Rio

O Governo do Estado deu nesta quinta-feira (29/8) o primeiro passo para tentar aumentar a participação da indústria automotiva na economia fluminense. De olho no programa Inovar-Autopeças, que será lançado em setembro pelo Governo Federal, visando elevar o conteúdo tecnológico dos componentes e reduzir as importações de partes de veículos, uma missão do governo estadual apresentou em São Paulo um cardápio de atrativos para que fornecedores dessa cadeia invistam no Rio de Janeiro. O Estado está entre os oito onde serão criadas, pelo Programa Arranjos Produtivos Locais (APL), redes de fornecedores em torno das empresas âncoras.

Em duas reuniões - uma com diretores da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotivos (Anfavea), e outra com cerca de 80 representantes do setor de autopeças, na sede do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) -, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, ofereceu a quem quiser investir no Rio a concessão de incentivos tributários e financeiros, além da possibilidade de cessão de terreno para a instalação de novas empresas.

Temos condições logísticas excelentes, com dois aeroportos internacionais, sete portos, rodovias e ferrovias. Além disso, temos uma ótima localização junto ao mercado consumidor que mais cresce no País, e atrativos eficazes para oferecer a fornecedores que queiram vir para o Brasil ou mesmo expandir suas atividades - afirmou o secretário.

A ideia, segundo Bueno, é incentivar maior encadeamento em torno da indústria automotiva, que vem ganhando força na economia do Rio de Janeiro nos últimos anos, já respondendo por 10% da produção industrial do Estado, antes mesmo da inauguração da Nissan, no fim do ano que vem e das ampliações de capacidade previstas pela MAN e Peugeot-Citroen (PSA). Pelo menos 15 fornecedores das montadoras instaladas no Rio já anunciaram investimentos de R$ 2 bilhões, com perspectivas de gerar 2.000 empregos até 2016.

Nesta quinta-feira, a paulista Tecbor, fabricante de perfis de borracha - que vão em torno dos parabrisas de veículos - anunciou investimentos de R$ 10 milhões para construir uma unidade em Três Rios, com capacidade de produzir 150 toneladas a partir de 2015. Será a terceira fábrica da companhia, que já tem unidades em Rio Claro e Itatiba, e fatura anualmente R$ 50 milhões. A empresa vai fornecer para a MAN e Neobus.

Presente ao evento no Sindipeças, o diretor de Relações Institucionais da MAN, Marco Saltini, destacou a estratégia agressiva que vem sendo adotada pelo Estado do Rio nos últimos anos na atração da cadeia automotiva.

- Ouso dizer que o Rio de Janeiro passa hoje por um ciclo de desenvolvimento sem precedentes na sua história recente, em que o Governo do Estado senta junto com o empresário para discutir as melhores condições para o seu negócio e garante um passo à frente em relação aos outros estados – disse.

O presidente do Sindipeças, Paulo Butori, afirmou estar muito otimista com o lançamento do Inovar Autopeças para alavancar o crescimento do setor, não somente em volume, mas em tecnologia.

- Haverá um ganho inimaginável em competitividade em nível mundial - disse o presidente da associação que hoje reúne cerca de 500 associados de capital nacional e estrangeiro, responsáveis por atender o mercado de reposição nacional de uma frota de mais de 30 milhões de veículos, além de exportar para mais de 150 países.

A missão liderada pelo secretário Julio Bueno contou ainda com a presença da presidente da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro, Conceição Ribeiro, e do presidente da Agência Estadual de Fomento (AgeRio), Domingos Vargas. Representantes das três principais empresas de autopeças do Estado do Rio, Nissan, MAN e PSA, também acompanharam a missão nas duas reuniões.

Para o presidente da Anfavea, Luiz Moan, a base do Inovar-Autopeças está sustentada em algumas diretrizes, das quais a primeira delas prevê a criação de um programa de rastreabilidade de componentes para aferir a origem da produção.

- A partir dessa rastreabilidade, vamos poder identificar quais autopeças são importadas e podem passar a ser produzidas no Brasil - disse Moan durante a reunião, ressaltando a expectativa de que o setor automotivo no Brasil cresça em torno de 4,5% este ano, atingindo a 3,49 milhões de unidades.

30/08/2013 - 13:31h - Atualizado em 30/08/2013 - 13:31h

Fonte: Ascom da Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Inscreva-se para se manter atualizado e receber notícias sobre o meu mandato para a sua cidade.

Comentários no Facebook

Você também pode gostar de

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook

  • Twitter

  • Instagram

  • Youtube

  • Linkedin