BAIXE O MEU APP

Notícias

Você está aqui

PROJETO CONEXÃO MATA ATLÂNTICA LANÇA PRIMEIRO EDITAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS NA REGIÃO DO MÉDIO PARAÍBA DO SUL

PROJETO CONEXÃO MATA ATLÂNTICA LANÇA PRIMEIRO EDITAL DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS NA REGIÃO DO MÉDIO PARAÍBA DO SUL

Iniciativa irá beneficiar proprietários rurais dos municípios de Barra do Piraí e Valença, cidades situadas na Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul, além dos municípios de Porciúncula, Cambuci, Italva e Varre Sai

Proprietários rurais da Região do Médio Paraíba do Sul serão beneficiados pelo programa Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), iniciativa tocada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento. O primeiro edital de seleção pública para participação no Projeto Conexão Mata Atlântica na Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul no Estado do Rio foi lançado, nesta sexta-feira (4/5), em um evento realizado no município de Valença.

O Projeto Conexão Mata Atlântica (Serviços de Clima e Biodiversidade no Corredor Sudeste da Mata Atlântica Brasileira) é uma iniciativa do Governo Federal e dos Governos dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, com apoio técnico e financeiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e recursos do Fundo Global do Meio Ambiente (GEF). Tem como objetivo recuperar e preservar os ecossistemas e a biodiversidade da Mata Atlântica por meio da restauração florestal, mudança do uso do solo, dentre outras iniciativas.

Para consolidar esse projeto no Estado do Rio, uma das ações executadas pelo Inea é implantar um sistema de Pagamento por Serviços Ambientais que visa recompensar os proprietários ou possuidores de imóveis rurais pela adoção de boas práticas ambientais que são: conservação de florestas; reflorestamento; e conversão produtiva, onde áreas de baixa produtividade são convertidas para sistemas de maior funcionalidade ecológica e econômica, tais como sistemas agroflorestais e silvipastoris, oferecendo incentivos econômicos e apoio técnico.

“O nosso objetivo é promover a adequação ambiental das propriedades rurais associadas ao desenvolvimento econômico sustentável, por meio de instrumentos econômicos como o Pagamento por Serviço Ambiental. Isso irá proporcionar, a médio e longo prazos, a reversão do quadro de degradação do ambiente da região, que vem ocorrendo desde o início do ciclo do café. Com isso, além da ampliação de áreas protegidas nessa região através de parques, monumentos naturais e outros, que foram criados nos últimos três anos, certamente o futuro das florestas, da biodiversidade e das águas dessa região está garantido”, afirmou o diretor de Biodiversidade, Áreas Protegidas e Ecossistemas do Inea, Paulo Schiavo.

“O valor do Pagamento por Serviço Ambiental (PSA) é vinculado em investimentos para melhoria dos sistemas produtivos, garantindo a sustentabilidade das propriedades. O PSA é uma estratégia que vem a promover tanto a adequação das propriedades rurais como também o desenvolvimento econômico e sustentável do estado. O proprietário rural que implementar ações de conservação e restauração florestal e conversão de pastagem para sistemas silvipastoris e agroflorestais será reconhecido e remunerado por essas boas práticas ambientais. Então esse edital vai permitir que os proprietários rurais possam se inscrever para participar do projeto”, afirmou a coordenadora geral do projeto, Marie Ikemoto.

“Esse projeto vem complementar um que iniciamos juntamente com o Inea, em 2016, que é o Projeto Água de Rio das flores destinado à restauração de áreas degradadas e recuperação de nascentes. Até o momento já foram reflorestados 255 hectares de área com mais de 400 mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica e, agora, com o projeto da Conexão Mata Atlântica e o Pagamento por Serviços Ambientais, os proprietários rurais terão a oportunidade de serem remunerados por suas boas práticas ambientais visando à conservação dessas áreas que foram reflorestadas”, ressaltou José Rogério Neto, diretor da Fundação Dom André Arco Verde, parceira do Inea.

O projeto irá beneficiar proprietários rurais dos municípios de Barra do Piraí e Valença, cidades situadas na Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul, além dos municípios de Porciúncula, Cambuci, Italva, Varre Sai, no Noroeste Fluminense.

Os proprietários rurais interessados em aderir ao programa, deverão se inscrever no Edital de Seleção Pública do Projeto Conexão Mata Atlântica, apresentando manifestação de interesse e um Plano de Ação que conterá a indicação das áreas a serem recuperadas na propriedade. A obrigatoriedade exigida é o imóvel estar inscrito no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Mais informações disponíveis no site do projeto: www.inea.rj.gov.br/conexaomataatlantica.

Inscreva-se para se manter atualizado e receber notícias sobre o meu mandato para a sua cidade.

Comentários no Facebook

Você também pode gostar de

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook

  • Twitter

  • Instagram

  • Youtube

  • Linkedin