BAIXE O MEU APP

Olá, faça seu login ou cadastre-se.

Você está aqui

Drone reforça combate ao desmatamento na Ilha Grande

Drone reforça combate ao desmatamento na Ilha Grande

O Programa Olho no Verde, executado pela Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), contará com o apoio de um drone no combate ao desmatamento ilegal no Rio de Janeiro. O equipamento adquirido com recursos de compensação ambiental foi entregue na sexta-feira (6/4) ao Parque Estadual de Ilha Grande, situado no Sul-Fluminense.

 

O drone chega para complementar o monitoramento via satélite e dar mais agilidade às ações de fiscalização. De acordo com o subsecretário de Ambiente, Rafael Ferreira, a novidade vai minimizar as dificuldades com a interferência do clima nas imagens de longo alcance. 

 

"Em função das questões climáticas da Ilha Grande, o monitoramento por satélite tem dificuldades em gerar alertas em tempo ágil. Então o drone veio, em um primeiro momento, para suprir essa lacuna", explicou. 

 

Feliz com o reforço, o gestor da unidade de conservação, Tercius Barradas, ressaltou a importância da ferramenta para a cobertura em uma área logisticamente complexa como a região do parque.

 

“A complexidade logística da Ilha Grande precisava dessa importante ferramenta no combate aos desmatamentos e às ocupações irregulares que figuram entre os principais fatores de degradação de um dos mais belos atrativos do Rio”, comentou. 

 

O Projeto Olho no Verde monitora semanalmente a cobertura florestal de uma área de sete mil quilômetros quadrados, onde estão localizados os principais remanescentes florestais do estado. A operação tem como principal objetivo o combate ao desmatamento ilegal, aplicando a tecnologia do imageamento por satélite e do processamento de dados espaciais. As imagens captadas pelo drone irão complementar os dados obtidos pelo satélite, com a finalidade de aprimorar a fiscalização.

 

Desde 2016, o Projeto Olho no Verde já identificou mais de 400 casos de desmatamento ilegal, somando cerca de 1 milhão e 100 mil metros quadrados, o equivalente a 110 hectares de áreas que sofreram supressão irregular de vegetação.

 

Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro - http://www.rj.gov.br/web/imprensa/exibeconteudo?article-id=6312337

Inscreva-se para se manter atualizado e receber notícias sobre o meu mandato para a sua cidade.

Comentários no Facebook

Você também pode gostar de