BAIXE O MEU APP

Blogs

Você está aqui

Fake News - a internet profissionalizou a fofoca

Fake News - a internet profissionalizou a fofoca

Amigas e amigos, desde que o ser humano existe a fofoca existe também. É verdade que muitas vezes a fofoca é apenas uma verdade inconveniente de alguém. Mas muitas outras vezes é uma mentira espalhada para prejudicar o alvo.

Pressa ou má intenção

Antes da internet, no jornalismo tradicional, muitas vezes a notícia falsa era causada pela pressa em dar a notícia. Ficar checando para ter certeza poderia fazer com que um jornal perdesse o “furo”. Depois de publicar sobre a morte do escritor Mark Twain, o jornal que publicou a notícia recebeu um telegrama dele dizendo: a notícia sobre a minha morte foi um pouco exagerada.

Bom para o escritor. Ruim para a credibilidade do jornal.

De boca em boca

No passado, as fake news corriam de boca em boca. Quem estava vivo no final dos anos 70 com certeza se lembra da notícia de um funcionário que caiu num tanque de uma fábrica de refrigerante e que isso só foi percebido depois do refrigerante ser engarrafado e distribuído.

Mesmo de boca em boca, a velocidade da notícia falsa e sua força para conseguir um grande alcance é impressionante.

A mentira não tem mais peça curta

Com a internet, a força da notícia falsa, do boato, da fofoca foi multiplicada de forma impressionante.

E pior: foi profissionalizada.

Há “profissionais”, pagos por empresas, que administram perfis falsos. Ou seja, um “profissional” é ao mesmo tempo um garoto de 14 anos que gosta disso e daquilo, uma dona de casa de 40 anos com 3 filhos, um aposentado... Pois é. E o trabalho dele e postar coisas que essas “pessoas” postariam até receber a ordem do patrão: fala mal de fulano dizendo que ele fez isso.

Aí você recebe essa informação. E na melhor das intenções compartilha. Uma pessoa próxima a você, que confia em você, recebe a sua mensagem. E como veio de você, ela acredita e compartilha.

Eu mesmo já fui vítima de fake news! Em um projeto de moradia, que consegui o término da obra e entrega das residências, espalharam o boato que as pessoas seriam despejadas. 

Processar quem?

A maravilha da fake news para quem as divulga é o anonimato. É praticamente impossível achar a origem. E aí como punir, prender, processar o mentiroso? Um jornal, TV, rádio ou mesmo um blog permitem que o atingido use a lei para se defender. Isso não acontece na internet.

A solução é simples

Não compartilhe uma notícia sem antes usar o seu bom senso. Além disso, dá uma checada pela internet. Faço isso e garanto: não leva mais que 1 minuto.

Se cada pessoa fizer isso, as fake news perdem fôlego.

E se você acha que não vale a pena perder esse minuto, lembre-se que por causa de fake news vidas já foram destruídas, guerras já foram travadas e reputações já foram arrasadas.

Não acredito tanto no poder das fakes news em manipular os resultados das eleições como a maioria fala. Ainda acredito no critério, bom senso e boas intenções das pessoas de bem.

Espero estar certo.

Abraço,

André Corrêa.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook

  • Twitter

  • Instagram

  • Youtube

  • Linkedin